domingo, 15 de maio de 2016

A Casa das Sete Mulheres de Letícia Wierzchowski

Livro
A Casa das Sete Mulheres de Letícia Wierzchowski
Alguém se lembra de uma telenovela, ou melhor, uma minisérie brasileira de andou a dar há mais de dez anos chamada A Casa das Sete Mulheres? Não? Contava a história da Revolução Farroupilha do sul do Brasil, mas pela visão das mulheres da família do General Bento Gonçalves da Silva.
Pois para os que se lembram, a parte que talvez não saibam é que a história surgiu de um livro do mesmo nome, da escritora Letícia Wierzchowski e só depois foi adaptada pela Globo.

Tal como a série, o livro está repleto de acontecimentos e personagens verídicas da História do Brasil, mas é centrado na personagem de Manuela, sobrinha de Bento Gonçalves que no inicio da Revolução parte para a estância da Barra com a mãe e as irmãs para lá se encontrar com as tias e primas numa longa espera de dez anos enquanto os homens da família lutavam pela independência do Rio Grande do Sul. É durante este tempo quase de reclusão, com a guerra por vezes tão perto, que vamos conhecendo cada uma daquelas sete mulheres da família, os seus medos, as suas paixões, os seus sonhos, os seus dramas e principalmente as suas reações face às notícias que vão chegando dos homens e às mortes que vão inevitavelmente acontecendo. O livro inicia com uma entrada do diário de Manuela que conta a cena do jantar de Ano Novo em que ela descreve os dias antecedentes à guerra em que se sabia que algo estava para acontecer e Manuela tem uma premonição, não só da luta eminente mas também do homem que iria chegar e por quem se viria a apaixonar, Giuseppe Garibaldi.
A partir daqui temos uma narrativa emocionante sobre os dias destas mulheres e sobre a luta do Rio Grande do Sul pela liberdade, não só do comércio do gado a preço justo que o Império do Brasil estava a inflacionar cada vez mais e a acabar com os recursos da região, como também pelo fim da escravatura. Tudo isto com descrições maravilhosas dos pampas e da ação das lutas.

Por algum motivo esta história prendeu-me desde o início. Lembro-me que teria uns 15, 16 anos quando deu a serie e adorei. E precisamente nessa altura foi lançado por cá o livro que comprei assim que o vi à venda e li de uma vez logo nesse fim de semana. Foi um daqueles livros que marcaram, com uma escrita fantástica, descritiva, repleta de referencias históricas e culturais de uma região que pouco conhecemos do Brasil. Na época intrigou-me a aposta em contar a história pelo lado dos derrotados, e eu que não sou nada dada a romances vi-me prendida a cada uma das histórias de amor, na maioria trágicas destas personagens que se tornaram tão queridas de tanto ler e reler o livro.

E qual o meu espanto quando anos mais tarde venho a descobrir que existiu uma continuação, o livro Um Farol no Pampa. Mas sobre esse livro falarei outro dia quando estiver com disposição para isso porque não foi um livro fácil em nenhum aspeto. Demorei anos para o conseguir comprar e depois desejei mil vezes não o ter feito. Outro dia conto...

Quanto à Casa das Sete Mulheres não será muito fácil encontrar atualmente nas livrarias, procurei agora por curiosidade e não existe na Wook nem na Bertrand, mas talvez se encontre em sites brasileiros. Lembro-me que este foi adquirido na Leya mas há 13 anos atrás. É o número 16 da Colecção Cântico Final da Ambar.

Alguém conhecia o livro? Lembram-se da série?

34 comentários:

  1. Lembro-me muito bem da serie!Natalia

    ResponderEliminar
  2. Lembro-me bem da mini série e li o livro pouco tempo depois quando me trouxeram do Brasil. Agora não sabia que havia continuação. Acho que vou reler e conhecer este novo livro.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existe a continuação, chama-se Um Farol no Pampa. Andei anos à procura dele e não o conseguia em lado nenhum até que há pouco tempo (2013) consegui encontrar na Wook. É um livro dificil de ler... prepara os lenços!
      Beijinho.

      Eliminar
  3. Não conheço o livro mas gostei bastante da série ;)
    Beijinhos ...
    Guloso qb

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a série era de facto muito boa.
      Beijinho.

      Eliminar
  4. Lembro-me muito bem da série que se não estou a confundir, acho que na altura ouvi comentar-se que cada episódio era gravado como se de cinema se tratasse. Terá sido certamente das últimas coisas brasileiras que vi na televisão, ou foi "A casa das sete mulheres" ou "Kubanacan" (que nem acompanhei o final - obrigado SIC pela falta de respeito que sempre demonstrou pelo espectador). E também lembro muito bem da atriz principal, senhora a quem achava bastante graça! Tal como lembro bem da banda sonora e da música do genérico. Em boa verdade sempre gostei de série de época, já do tempo da Ricardina e Marta ou mais "recentemente" d'A Ferreirinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens a Kubanacan inteira no Youtube. =)
      A banda sonora acho que até te cheguei a mostrar. Mas depois disso ainda consegui outra que não chegou a ser lançada cá. Depois lembra-me para te mostrar isso. =)
      Beijinho.

      Eliminar
  5. O livro não conheço, mas vi a série e simplesmente adorei...lembro como se ainda fosse ontem...
    Beijinhos.

    misscokette.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, foi mesmo daquelas séries marcantes.
      Beijinho.

      Eliminar
  6. Eu conheço de metade de Braga na teoria. O meu primo é arqueólogo, está a fazer mestrado aí e está sempre a relatar-me as coisas. Juro que não me cansa nada ouví-lo porque adoro aprender :D ainda não consegui visitar tudo... Só mesmo o Museu D. Diogo Sousa que adorei :D

    Não conhecia nem o livro nem a autora mas suscitou-me bastante curiosidade :D

    NEW TIPS POST | How To Prepare Your Skin for Summer.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É normal, acho que o livro passou muito despercebido por cá. Se não tivesse seguido a série também não teria reparado nele de certeza.
      Beijinho.

      Eliminar
  7. O nome não me soa estranho, o livro sei que não li, por isso talvez tenha visto a série mas já está esquecida nos recantos da minha memória! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, já tem mais de dez anos, é provável que não te lembres.
      Beijinho.

      Eliminar
  8. Por acaso nunca li o livro nem vi a série.
    beijinhos
    https://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os dois eram espetaculares. Se conseguires encontrar tenta. =)
      Beijinho.

      Eliminar
  9. Não conhecia o livro, mas eu adorava a série... ainda me lembro da épica musica da abertura !
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a música era lindíssima. Por acaso na altura comprei o cd e era mesmo espetacular.
      Beijinho.

      Eliminar
  10. Não me lembro sequer de ouvir falar da série, nem do livro provavelmente era pequenita na altura em que deu mas a verdade é que nunca fui muito fã de séries/telenovelas brasileiras!

    Beijocas, Hellen
    http://instantesimprovaveis.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é provável que não. A série deu em 2003 e o livro saiu logo na mesma altura por cá.
      Agora até me fiquei a sentir velha. :(
      Beijinho.

      Eliminar
  11. Sem dúvida ;D
    Sim, também é verdade. Não me tinha lembrado disso :D Obrigado pela dica :D

    NEW RECIPE POST | Pasta Nidi All’Uovo with shrimp, mushrooms and spinach.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  12. Desconhecia completamente tanto o livro como a série :)
    Beijinhos
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recomendo as duas coisas.
      Para mim foram fascinantes.
      Beijinho.

      Eliminar
  13. Eu lembro-me da série! Não gosto de telenovelas normais, mas sempre fui fascinada pelas de época, como essa, A Escrava Isaura (houve um remake há uns anos), Cabocla, e a última que passou, o remake da Gabriela. Há um elemento de atração nas telenovelas de época brasileiras que é muito difícil de imitar. Agora fiquei com saudades de todas essas séries!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo por completo. Também foi das poucas que acompanhei religiosamente. Alias, lembro-me que nessa altura houve duas ou três históricas muito boas. Essa, o Quinto dos Infernos...
      Beijinhos.

      Eliminar
  14. Não conhecia nem a série nem o livro!


    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  15. Meteram sim senhor, querida :D Todas semanas é uma figura pública nova. Por acaso gosto imenso do segmento :D
    Experimenta e depois mostra :D

    NEW OUTFIT POST | Grey Degradé.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  16. Não me recordo da série, mas achei a descrição do livro bem engraçada! Se calhar o mais fácil até será encontrar em bibliotecas e requisitar! Já não entro numa há algum tempo, mas quando frequentava encontrava livros bem interessantes!

    Beijinhos!

    Carolina
    ENJOY by C. | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente acho que as bibliotecas estão em vias de extinção. Também já lá não entro talvez há mais de dez anos.
      Beijinho.

      Eliminar
  17. Resenha maravilhosa mais amei a serie que passou na globo
    assisti toda.
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderEliminar
  18. Confesso que não li o livro, mas adoro a série. Ainda por cima, a minha atriz favorita (que conheço pessoalmente) interpreta uma das sete mulheres, a Caetana.
    Grande história, deslumbrante - embora muito romanceada em relação à realidade.
    Beijinhos


    http://msmarydee.blogspot.com

    ResponderEliminar
  19. É verdade, também adorei a série e sempre gostei muito dessa atriz. Se tiveres oportunidade aconselho imenso o livro, não só este como depois a continuação, Um Farol no Pampa. Foram mesmo dos mais marcantes que li.
    E concordo que a história foi muito romanceada, mas acho que isso faz parte.
    Beijinho.

    ResponderEliminar