domingo, 4 de dezembro de 2016

Reviewer Convidado: pequenasvontades

Olá pessoal!

Cá estamos nós no inicio de mais um mês e com o primeiro fim de semana já sabem que chega também a rubrica do Reviewer Convidado. Hoje convidei a autora do blog Pequenas Vontades, que nos trouxe uma sugestão de leitura ideal para esta quadra natalícia, A Christmas Carol de Charles Dickens. Acho que este livro (ou uma das suas imensas adaptações cinematográficas) fará parte das memórias de muita gente, por isso acho que foi o tema ideal para este mês.



O Natal é um tempo mágico para a grande maioria. Reúne famílias e amigos, cobre a sociedade com um manto de bondade, ainda que temporário, e produz um espectáculo de brilho e alegria.
Mas nem todos rejubilam com ele. Por as mais distintas razões, há quem não veja o Natal como uma data de alegria.
Charles Dickens falou-nos disso no seu aclamado A Christmas Carol.

Li-o pela primeira vez com os meus pais. Num passeio, nas livrarias que tanto gostamos de visitar, o meu pai pegou nele e achou que era uma boa ideia traze-lo para casa. Era altura de Natal, claro, e desde de essa altura não há ano que não o releia.
É uma história simples, bem estruturada, mas com uma mensagem poderosa.
 
Ebenezer Scrooge é um homem avarento e mal disposto que trabalha no seu escritório em Londres e detesta o Natal. Não percebendo a excitação de todos para a preparação da grande data, a sua única preocupação é ter de atribuir um dia de folga ao seu empregado, Bob Cratchit.
Bob é um homem pobre mas muito feliz com a sua família. Pai de quatro filhos, tem no pequeno Tim, um pequeno menino com uma deficiência, a sua maior alegria.
Na véspera de Natal, Scooge recebe a visita do seu falecido sócio avisando-o que não conseguiu descansar em paz após a morte devido à falta de generosidade e bondade em vida e avisa-o que receberá algumas visitas durante a noite, pois Scooge ainda tem tempo de ser redimir. E o resto é história. Os espíritos do Passado, Presente e Futuro visitam-no e mostram-lhe o quão vazia será a sua vida se não mudar.

Scooge muda a partir daí.

Como referi, a história em si é simples. O que é poderosa é a mensagem que tiramos dela. Não precisamos de ser visitados por qualquer espírito para perceber que o Natal, assim como deviam ser todos os restantes dias, é apenas mais uma oportunidade de fazer o bem. Por nós e pelos outros. É uma altura de partilha, amor e família.
Podemos ser ou não religiosos mas o Natal dá-nos a oportunidade de aceitar que efectivamente, quando nos propomos a isso, o mundo se torna melhor.


É uma mensagem fantástica e um livro que todos devíamos ler.

Feliz Natal 


Que ótima sugestão para esta época, não acham?
Muito obrigada à pequenasvontades por aceitar participar.
Gostaram da rubrica este mês?

5 comentários:

  1. Que me recorde nunca li o livro, mas já vi mais do que uma versão em filme. Excelente sugestão! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Sim, em relação com as da Catrice nem se compara :D

    Não conhecia, de todo, o livro :D

    NEW BLOGGER TIPS POST | How do I manage my Instagram: Organization and Edition.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  3. Não conhecia o livro! Estou a seguir o blog!

    Beijinhos
    That Girl

    ResponderEliminar
  4. Adorei, foi um livro que recebi na minha infância num aniversário, porque faço anos uma semana antes do Natal e lembro-me de ter ficado agarrada àquela leitura até terminar. Tem uma mensagem lindíssima, muito bem escolhido :)

    Beijinho <3

    Lina Soares
    Trinta por uma linha

    ResponderEliminar
  5. Os fantasmas do Nataaaal, eu adoro os fantasmas do Natal :D É realmente uma história muito boa :)

    ResponderEliminar