segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Séries da Minha Vida - Parte 2

Olá Dolces!
Lembram-se deste post sobre as Séries da Minha Vida? Pois ficaram tantas por mencionar que era impossível não fazer uma Parte II. Mais uma vez, não existe qualquer ordem de preferência, nesta ou na outra lista. Todas estas séries marcaram, deixaram saudades ou até mesmo definiram épocas da minha vida. Umas mais do que outras, mas todas elas continuam a ter um cantinho especial e serão sempre revistas.

Sense8
Nem sei como é que comecei a ver isto, acho que vi qualquer coisa no Facebook quando saiu a primeira temporada e resolvi ver do que se tratava. Foi das melhores decisões da minha vida! Sense8 apareceu numa altura em que o Netflix estava a começar a ganhar a dimensão que tem hoje, quando a televisão estava saturada de séries repetitivas que nasciam como cogumelos ou que se mantinham eternamente tipo manchas de bolor. Pois esta foi uma lufada de ar fresco, tão estranha, tão diferente de tudo, tão politicamente incorreta, mas tão desesperadamente necessária! Fiquei triste com o cancelamento, mas pode-se dizer que acabou em grande, talvez mesmo no auge do seu sucesso e isto é tão raro, numa altura em que as séries se arrastam ad nauseam que só contribuiu ainda mais para a beleza de Sense8.

Downton Abbey
Não sei como vi esta série até ao fim. A cada 2 ou 3 episódios acontecia alguma coisa tão má, tão terrivelmente horrorosa que eu dizia sempre que não ia voltar a ver. Até sair o episódio seguinte e aí estava eu colada ao drama da aristocracia inglesa no início do século passado. Claro que todo o glamour da série acabou por me manter fiel até ao fim, mesmo com personagens favoritas a serem mortas. Mas quem é que consegue resistir ao sentido de humor mordaz da Violet? Confesso que detestei a Edith do primeiro ao último episódio, mas sempre adorei a Mary.

Angel
Para mim não faria qualquer sentido ter a Buffy na primeira parte desta lista se não incluísse também o seu spin-off. Admito que esta foi uma série que me custou a engolir e resisti com unhas e dentes durante anos sem a ver. Porque? Porque estas personagens não tinha nada que deixar Sunnydale e mudar-se para Los Angeles. Forcei-me a mim mesma a este pequeno ato de revolta e teria mesmo vencido a luta se não fosse um certo vampiro louro acabar a série da Buffy e mudar-se para o Angel. E pronto! Se tem Spike eu tenho de ver! Calhou mais ou menos bem porque começou a dar cá a primeira temporada mais ou menos na altura  em que ia na 5ª e acompanhei a série toda na Fox em vez de comprar os DVD's todos como tinha feito com a Buffy. Qual comprei? A 5ª temporada, claro! Porquê? Spike!  

The X Files
Foi a minha primeira série. Estranhamente nunca tive nenhum fascínio especial por extraterrestres, mas achava interessante e divertido... como os fantasmas as bruxas ou qualquer outro tema sobrenatural. No entanto sempre fui muito racional em todos os aspetos - algumas pessoas que estão a ler isto diriam mesmo cética de uma intransigência ponto de ser chata! Por isso quando me aparece uma personagem como a Scully, sempre pronta a encontrar a explicação mais científica para algum fenómeno, foi muito fácil para mim render-me à série. Marcou o início da minha adolescencia e de certa forma definiu-a. Não fosse o meu ódio de estimação a matemática, acredito que tivesse posto a arqueologia de lado e a esta hora estaria mesmo a trabalhar numa morgue. Infelizmente o regresso da série foi mais um exemplo daqueles em que deveriam ter ficado quietos.

Scandal
Vibrei com cada segundo desta série, desde o primeiro ao último episódio. Para mim, apesar de ter havido episódios menos bons, nunca houve um que fosse mau. Foi tão bom seguir a vida de Olivia Pope na Casa Branca e fora dela! Quantas vezes dei por mim a torcer por personagens pouco recomendáveis, com motivos duvidosos e de uma ambição desmedida. Ou por criaturas que não tinham direito moral de ser tão divertidas! E que diálogos! Digam o que disserem, esta série para mim tem dos melhores diálogos que se encontram em televisão nos últimos anos! A única personagem aqui que não suporto nem pintado: o presidente!

The Vampire Diaries
A verdade é que tenho uma relação quase de amor/ódio com esta série. Começou muito bem, com um núcleo inicial de personagens interessantes (claro que o Damon sempre foi um pouco mais interessante que os outros todos!) e uma intriga coerente (ou tão coerente quanto uma história de vampiros o permite). E manteve-se assim durante 3 temporadas. A 4ª foi estranha mas ainda aceitável e por mim teria terminado a série por aqui. O fim da 4ª temporada teria sido o final perfeito. Mas não! Arrastou-se de tal forma, com histórias tão absurdas que confesso ter perdido a paciência algures entre a 6ª e a 7ª temporada. Mas ainda assim, tinha de de fazer parte desta lista.

Sherlock
Cheguei a esta série vergonhosamente atrasada. Só depois de um encontro algo inesperado com o Mark Gatiss em Londres é que me decidi a ver a coisa. Confesso que fiquei tão sem-graça de admitir que nunca tinha visto, que no dia seguinte fui a correr à HMV comprar a box das 2 primeiras temporadas. Apaixonei-me pela série ao fim do primeiro episódio e tive "sorte" que isto foi apenas a duas ou três semanas do início da terceira temporada, porque ninguém merece os dois ou três anos de espera por episódios novos. Espero mesmo que isto atualmente se trate apenas de um hiatus e não o final da série, mas tenho as minhas dúvidas!

Game of Thrones 
Não vou dizer que sou a maior fã da série, porque nem de longe. Nunca li os livros, comecei a ler o primeiro assim que começou a série, mas achei aquela escrita tão chata que desisti. No entanto acabei a dar por mim agarrada ao ecrã a cada episódio, claro que sempre a pensar quem irá morrer a seguir. Acho que o truque aqui é o mesmo que sempre usei com a Buffy, não me apegar às personagens, porque quando menos esperamos... puff... foram-se! E sim, eu faço parte daquele grupo de sádicos que pagaria e bem para ver como seria uma conversa entre George R.R.Martin e Joss Whedon! 

Tru Calling
Acho que esta é uma série que não estará em muitas listas de preferências. Comecei a ver por causa da Eliza Dushku e fiquei porque... nem sei porquê. Mas lembro-me de ficar presa à televisão a horas quase indecentes para quem tinha aulas no dia seguinte. E o mais estranho nesta série... o meu avô também a via! E claro que agora faz parte desta lista mais pelo lado sentimental de um gosto que partilhávamos (acho que a nível televisivo foi mesmo o único).

The Night Manager
Tom Hiddleston! Preciso mesmo de explicar o resto? Ok, preciso! É a típica série que nunca me chamaria a atenção senão fosse o meu querido Tom Hiddleston. No entanto estaria a perder uma história de espionagem espetacular! E que elenco!!! A Olivia Colman é brilhante! A escolha do Hugh Laurie para um vilão quase divertido mas com o qual é impossível simpatizar foi genial! E o Tom Hollander foi absolutamente perfeito, como sempre! Acho que o único erro de casting foi mesmo a atriz principal... ok, entendo a escolha... mas o mínimo de jeito para representação deveria ser pedido, não? Que história! Que cenários! Que personagens! Quero mais!!!

E acho que desta vez fico por aqui.
Seguiam alguma destas séries? 
Há alguma que gostariam que voltasse? 

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Corretor Bonnie Choice da Born Pretty

Olá Dolces,

Eu sei que tenho andado um pouco sumida aqui do blog (mas continuo pelo instagram por isso podem-me seguir por lá através deste link), com o tempo espetacular que tem estado o que apetece é aproveitar o tempo livre para passear.

E hoje o que vos trago é aquela review sobre o corretor que tinha ficado prometida desde o post anterior. A Born Pretty enviou-me alguns produtos para experimentar e o batom líquido apesar de ter uma cor lindíssima não impressionou em nada. Pois hoje venho contar a experiência com o Bonnie Choice Liquid Concealer Pore Dark Circle Cover Waterproof Face Primer Makeup Cosmetic Cream (Pessoal, têm mesmo de começar a pensar em nomes mais curtos, okay???).
Corretor Bonnie Choice - Born Pretty
Segundo a marca
Ora então temos um corretor líquido que diz ser de alta cobertura, longa duração, à prova de água, com fórmula em creme, adequada a todos os tipos de pele, até mesmo a peles sensíveis. De textura sedosa, dá uma hidratação imediata e de longa duração à pele.

A minha opinião
Depois do quase-fiasco do batom, que foi o primeiro produto que experimentei, claro que fiquei não com um, mas com os dois pés atrás com este corretor. Um dos primeiros aspetos que notei, ainda ao fazer o pedido é que tem apenas 6 cores e nenhuma delas para tons de pele mais escuros ou negros e mesmo os mais claros acho que dificilmente serviram para qualquer pessoa.
Confesso que quando chegou não fiquei muito entusiasmada pois não esperava grande coisa. No entanto fiz a primeira aplicação e… fiquei boquiaberta!
Corretor Bonnie Choice - aplicador
Adoro a textura, que espalha na pele sem qualquer problema. Dá uma cobertura de média a alta numa primeira aplicação e se a situação da olheira ou vermelhidão for mesmo má, é muito fácil de ir construindo, sem enrugar, ou piorar linhas de expressão e tem um acabamento bastante natural. Experimentei com e sem pó para o selar e a verdade é que noto alguma diferença. Acho que já não é a primeira vez que menciono que as minhas olheiras são terríveis, o meu formato do rosto cria ali aquela zona mais côncava que fica sempre escura e os problemas de sinusite tornam-nas ainda piores. Por isso, é muito raro encontrar um corretor que funcione nessa zona, mais ainda um que não desapareça ao fim de duas horas. Com este se não o selar com pó dura à vontade umas 6 ou 7 horas. Selado, não se mexe o dia inteiro até à hora de o retirar. Não enruga, não desaparece, não se desfaz, nada!!! Fica absolutamente perfeito! 
Com exceção de uma ou outra marca mais cara, este é o primeiro corretor que uso e que adoro! Na minha pele funciona ainda melhor do que por exemplo o Liquid Camouflage da Catrice. Basta uns 5 pontinhos por baixo da olheira, que vou espalhando em suaves batidas com a ponta da Beauty Blender e voilá! Perfeição! Ou seja, isto deve-me durar meses! Fiquei mesmo impressionada! Nunca pensei que um produto tão em conta pudesse ter este desempenho.
Corretor Bonnie Choice - Born Pretty Swatch, Cor 10

O Bonnie Choice Liquid Concealer (para encurtar o nome) pode-se encontrar no site da Born Pretty (Link aqui), existe apenas em 6 cores que não me parecem suficientes e vem em embalagens de 6,5ml, o preço é de 2,55€ e podem continuar a usar o código ERT4H10 para ter 10% de desconto em produtos sem promoção. Não se esqueçam que os portes são gratuitos para todos os pedidos. 

Já conheciam a marca?
Quais os vossos corretores favoritos?

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Review do Batom Líquido da Born Pretty

Bom dia Dolces!

Hoje venho-vos mostrar  um dos produtos que recebi da Born Pretty 
Para quem não sabe, a Born Pretty é uma loja online que apesar de se focar principalmente em produtos para as unhas, tem uma vastíssima variedade de maquilhagem e até bijutaria.
Para começar, devo dizer que o staff é super atencioso na comunicação por email, sempre dispostos a ajudar e a esclarecer dúvidas. Este foi o primeiro ponto que me chamou a atenção. O segundo já não foi tão positivo, embora acredito que a Born Pretty não tenha grande culpa ou controlo sobre a situação, que é o tempo de demora até a encomenda chegar. Claro que todos nós sabemos que encomendas asiáticas podem demorar uma eternidade, mas até agora esta foi a mais longa espera que tive deste género. O pedido foi feito a 15 de Maio e recebido a 9 de Julho, ou seja demorou quase 2 meses, mais duas semanas do que as 4 a 6 referidas no site. No entanto, apesar do atraso, chegou tudo em perfeitas condições.

Segundo a marca:
Pela pequena amostra que tive com estes produtos, parece-me que a Born Pretty adora nomes intermináveis, pelo menos os de maquilhagem. Por  isso vamos abreviar isto para Matte Liquid Lipstick!
Segundo o site trata-se de um batom líquido, tipo gloss, mate, de longa duração e à prova de água, de alta pigmentação e textura sedosa. Confortável nos lábios e não esborrata.


A minha opinião:
Este batom tinha uma lista de promessas tão longa que estava mesmo curiosa para ver o que iria sair dali.
O primeiro ponto a salientar aqui é o packaging, vem numa caixa quase totalmente preta mas bastante elegante, tal como o batom. A embalagem é linda, elegante, que de repente faz lembrar os glosses da Chanel
O segundo ponto, é mesmo a cor. Escolhi o tom 2 – Dangerous um pouco à sorte, no entanto assim que abri vi que era lindíssimo, de um castanho arroxeado, tal como adoro.
No entanto os pontos positivos ficam apenas por aqui. Começando pelo aplicador, acho-o extremamente difícil, senão mesmo impossível de trabalhar. É muito fino sem consistência nem forma definida, que agarra produto em exagero, e por muito cuidado que se tenha, ao terminar a aplicação parece que foi posto por uma criança.
E tudo isto piora quando começamos a falar do produto em sí. Tem uma formula demasiado liquida para uma aplicação perfeita e esborrata imenso ainda ao colocar. Sem falar que seca tão rápido que é quase impossível limpar as imperfeições ou retocar algum ponto. No entanto, mesmo depois de seco, esborrata imenso nos lábios, parece que "sangra" e é extremamente desconfortável, não só cola como também seca a ponto de ser incomodativo. A minha primeira ideia foi: isto vai para o lixo!!! E a segunda também!
Mas a cor é tão linda!!!
E pronto, lá andei eu a experimentar a coisa de todas as maneiras possíveis e imaginárias. para o tornar utilizável. A nível de aplicação só mesmo com um pincel (que provavelmente ficou inutilizado para tudo o resto!). A única forma de não esborratar é com um lápis delineador e ainda assim, tem de ser uma aplicação mínima de batom, o que não é grave já que a pigmentação é realmente forte.
Já o problema do desconforto… tentei gloss por cima e esborrata imenso. A única forma que o consigo ter nos lábios sem andar extremamente desconfortável é com batom de cieiro por cima. Claro que, desta forma, bye bye efeito mate e longa duração. No entanto foi a única solução que encontrei para não o deitar para o lixo. E o que é certo é que até fica com um efeito bastante bonito.

O Bonnie Choice Matte Liquid Lipstick encontra-se no site da Born Pretty e existe em 8 cores diferentes, as embalagens contêm 7g de produto com uma duração de 2 anos depois de aberto. O preço é de 3,07€ e ainda podem usar o código ERT4H10 para ter 10% de desconto em artigos sem promoções. Pois apesar de não ter tido grande sorte com o batom, adorei o corretor! É que entrou mesmo para a lista de favoritos. Para a semana falo sobre ele.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Review da Paleta Chocolate Gold da Too Faced

Olá Dolces

Sabem o ditado que nem tudo o que brilha é ouro? Pois neste caso é mesmo!
E melhor que isso! Ouro e chocolate! Parece a combinação perfeita.
Chocolate Gold
Pois é, hoje trago-vos a review da paleta de sombras Chocolate Gold da Too Faced!
Vou começar por dizer que não era suposto ter comprado esta paleta. Foi uma coisa que não liguei nenhuma quando saiu e sinceramente nunca me despertou a atenção pela net. Até ao dia que descobri que a Sephora estava finalmente a vender a Pixi e fui logo à loja. O meu plano era simples, entrar, agarrar no Glow Tonic, ir direta à caixa e sair. Simples! Mas claro que a coisa não resultou na prática e caí na asneira de passar no expositor da Too Faced! Lá estava a paleta! Assim que olhei para ela o meu primeiro pensamento foi “Vens comigo para casa!”.

Segundo a marca:
A paleta Chocolate Gold é composta por 16 sombras, 12 delas metálicas e 4 mate. Estas últimas são, no fundo os tons de transição e o preto que pode ser usado até como eyeliner. Todas as sombras são de 0,80g, excepto a Rollin' in Dough e a Chocolate Gold, que têm mais do dobro, com 1,80g. Mas a grande novidade está mesmo na sua composição! São feitas com cacau em pó 100% natural e as metálicas contêm ouro verdadeiro! São sombras com alta pigmentação, com uma textura suave e aveludada. A Too Faced é uma marca que não testa em animais.

Too Faced Chocolate Gold
A minha opinião:
Estou completamente apaixonada por esta paleta! Para começar tem um packaging lindíssimo, de aspeto luxuoso, a imitar uma tablete de chocolate mergulhada em ouro. Ao abrir, a primeira coisa que se sente é o aroma a chocolate. Sim, cheira mesmo a cacau!!! Adoro a qualidade do espelho e o facto de ter o nome da marca em letras discretas que pouco ou nada interferem com a visibilidade.

Já sobre as sombras são da melhor qualidade que tenho encontrado. Todas elas extremamente pigmentadas, ricas, diria mesmo exuberantes em alguns casos, com uma textura quase cremosa, uma única passagem com o pincel é mais do que suficiente e raramente preciso de o molhar, a menos que queira tornar o tom ainda mais vivo. Adoro o facto de se manterem o dia inteiro no olhos, até sem primer (embora a cor fique mais bonita com ele).
Chocolate Gold Swatches
Antes de a usar, pensei que iria ter algum problema de queda, que esfarelassem um pouco, no entanto fiquei surpreendida. Noto uma queda mínima com a Gold Dipped e Dripping Diamonds e um pouco mais com a Chocolate Gold, no entanto basta passar o pincel limpo e resolve bem. Se tivesse mesmo de alterar alguma coisa, talvez trocasse um dos tons de transição, provavelmente o So Boujee por uma cor mais rosada, embora goste bastante desta também.
Um detalhe giríssimo sobre esta paleta são os nomes das sombras, quase todos relacionados com dinheiro, ouro, joias ou outros luxos, alguns tão engraçados como o Holla For a Dolla ou Classy & Sassy.
Depois disto, acho que não será nenhuma surpresa admitir que esta é a minha paleta favorita até ao momento, adoro cada detalhe!

Em Portugal penso que a marca Too Faced seja vendida apenas na Sephora ou encontra-se online por exemplo na Cult Beauty. Existem várias paletas giríssimas com o conceito da tablete de chocolate e até bombons. A única parte menos simpática é mesmo o preço que ronda os 50€. É literalmente a preço de ouro! Eheheh

Já conheciam a paleta?
Que acham do detalhe do cheiro a cacau e de ter ouro verdadeiro?

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Séries da Minha Vida - Parte 1

Olá Dolces

O post que vos trago hoje é daqueles diferentes do meu habitual, no entanto achei que seria divertido partilhar convosco as séries da minha a vida. Ou seja, todas as séries que de uma forma ou de outra me marcaram a ponto de merecer uma referência aqui. 
Sempre adorei séries, muito mais do que filmes. Isto ainda antes das séries "estarem na moda", ou seja antes do conceito de binge watching ou de existir algo sequer parecido ao Netflix. Quando ainda não circulavam episódios na internet e se os queríamos ver, ou estávamos em frente à televisão à hora a que dava, ou tínhamos de os gravar ainda nas velhinhas VHS (Eu sei que estou a ficar velha), pois caso perdêssemos um deles provavelmente nunca mais o veríamos. Mas tudo isto fazia parte do ritual de acompanhar uma série! 


Buffy The Vampire Slayer

Foi a série da minha vida. Comecei a ver quando ia na 4ª temporada e chorei baba e ranho quando terminou (Quem me conhece sabe que não sou criatura de verter uma única lágrima por coisa nenhuma, muito menos por séries... com uma ou duas exceções). Lembro-me de ir de propósito ao Porto à FNAC comprar os DVD's que ainda vinham importados de Inglaterra a preços exorbitantes sem legendas em Português (Sim era assim que se fazia no tempo pré-downloads e Netflix!). Dissecava cada episódio ao detalhe, conhecia a escrita e a realização de cada um dos argumentistas e realizadores como a palma da minha mão. Adorei tudo nesta série (ou quase), para a época que deu tudo era novo e diferente do que havia. Amei personagens (Buffy, Spike, Tara) com a mesma intensidade com que odiei algumas outras (Xander, Anya). Foi, é e continuará a ser a minha série, mesmo 20 anos depois.

Alias

Alguém se lembra disto dar aos fins de semana à tarde? O que eu me divertia com esta série e com as conspirações malucas e com o morre-não morre das personagens. Eu e uma amiga apontávamos tudo o que ia acontecendo e assim que acabava ligávamos uma à outra a comentar o episódio. Como eu adorava os maus da fita! Ah Julien Sark... como eras adoravelmente mau!

Leverage

Caí nesta série um pouco de para-quedas quando começou a dar no AXN e reparei que tinha um senhor a quem eu achava piada de outras aventuras, o Christian Kane. Foi o que me levou a começar a ver. E fiquei pela Parker! Aquela destrambelhada que tinha 0 de sociabilidade era a coisa mais divertida que havia ali. Ok, as maluquices da Sophie não ficavam muito atrás e os golpes que faziam eram hilariantes. Adorei a série a ponto de chegar a falar com alguns dos atores e foi a primeira vez (e única até ao momento) que mandei um email a um canal, neste caso ao TNT a reclamar quando a série foi cancelada.

Gossip Girl

Não é normal a adoração que tive por esta série! E pela minha querida Blair! Acho que odiei o par principal desde os primeiros episódios. Desculpem lá mas aquela Serena e o Dan eram as coisinhas mais sonsas e irritantes que me lembro nos anos mais recentes de televisão. Já os esquemas da Blair e até até certo ponto do Chuck eram divertidíssimos. Sem falar dos modelitos espetaculares que a série tinha. Até eu que nunca fui grande apaixonada por moda adorei aquilo!

Queer as Folk

Ok, esta deve ser talvez a série mais controversa que tenho nesta lista, não pela temática gay, mas talvez mais pelas cenas de sexo, que para aquela altura eram demasiado explicitas. Claro que não a vi na época em que saiu, era nova demais para isso, mas vi há uns anos atrás e adorei aquele Brian Kinney... até quando não devia. Nunca cheguei a ver o original, na versão Inglesa, mas talvez um dia ainda o faça.

Las Vegas

Eu juro que não sei o que é que esta série faz aqui. Não tem nada a ver com o que normalmente gosto (ou gostava há mais de 10 anos, quando a via), no entanto depois de ver o primeiro episódio estava completamente rendida à vida do casino. E o Montecito era como uma personagem, tão importante como qualquer outra das pessoas que lá trabalhavam ou da família que o geria. Os casinos e a exuberância de Las Vegas nunca me fascinaram, no entanto adorei esta série.

Roswell

Se a Alias era a minha série de Sábado à tarde, esta era a de Quinta-feira à noite. Típica série de adolescentes com extraterrestres à mistura e todo o drama que os envolvia. Claro que tinha tudo para entrar agora nesta lista. Lembro-me que comecei a ver por causa da música, estava a fazer zapping e aterrei na RTP 2 porque ouvi a voz da Dido e fiquei a ver do que se tratava. Ai como era giro passar a vida a chamar burro ao Michael e a perguntar-me como a Liz conseguia aturar o Max que parecia sempre obstipado!

Torchwood

Outra série que não sei muito bem como é que veio parar a esta lista. Não tem nada a ver com nada. Quando comecei a ver o Doctor Who achei imensa piada à personagem do Jack Harkness e quando descobri o spin off claro que tive de ir ver. Entretanto chateei-me com o Doctor Who, mas esta já me tinha conquistado! E como eu adorava aquele Ianto! Confissão (com spoiler!): depois da morte do Ianto, vi apenas o episódio seguinte, que era o último da temporada e recusei-me a ver a temporada seguinte. Até hoje nunca cheguei a ver e acho que vou permanecer assim, é o meu ato de revolta com aquela morte.

Gilmore Girls

Se um dia alguém me pedir para contar a história da minha vida, acho que lhes ofereço a box de DVD's desta série. É aterradoramente semelhante, incluindo detalhes mirabolantes, desde a relação mãe/filha, à influência dos avós, a existência de um Luke, ou detalhes como um colchão que levaram para o quarto no campus a meio da noite. Um dia faço uma lista de todas as semelhanças gerais e particulares, tenho a certeza que ficarão abismados. 

Penny Dreadful

Para quem sempre adorou histórias de terror, é claro que esta série não me poderia faltar nesta lista, já que é a junção de vários clássicos da literatura de horror com diversos mitos e antigas lendas, focadas na personagem de Vanessa Ives. Acho que a Eva Green mostrou bem o que valia nesta personagem e deu um autêntico show de representação do início ao fim. Claro que a mim fascinou-me tudo nesta série, a história, as personagens, o cenário, os adereços... um certo Dorian Gray, mas principalmente o elenco fantástico que teve.

Mas como a lista já vai longa ficamos por aqui. Para a semana ou na próxima sai a Parte 2 com as restantes séries que mais me marcaram. E acreditem que me estou a controlar para não fazer a Parte 3!

E vocês, seguiram alguma destas séries?
Quais foram as que mais vos marcaram?

domingo, 1 de julho de 2018

Eyeshadow Primer da Urban Decay


Olá Dolces!

Uma das minhas aquisições mais recentes foi o primer de olhos Eyeshadow Primer Potion Original da Urban Decay. Já há uns tempos que andava com vontade de o experimentar e numa da últimas encomendas da Sephora (eu disse que isto de terem loja online ia ser a ruína do meu porta-moedas!) lá veio ele. Tendo em conta que é um produto com preço elevado, decidi começar pelo travel size e assim, caso não gostasse não estaria a desperdiçar dinheiro.


Segundo a marca
Promete uma aplicação suave, sem acumulação nas linhas da pálpebra e um prolongamento das sombras durante 24 horas. Com um aplicador versátil, cobre as imperfeições da pálpebra, funde-se com o tom de pele e depois de seco torna-se invisível. Não contém parabenos e é totalmente Cruelty Free.

A minha opinião
Começando pela embalagem, acho-a super gira e prática. Adoro as cores, nestes tons lilás e roxo metalizados, a tampa é linda, faz-me lembrar as pedras dos colares que fazíamos em criança e o aplicador cumpre muito bem a sua função. Claro que, sendo um travel size cabe bem em qualquer estojo ou bolsinha de maquilhagem, no entanto uma única passagem com o aplicador é suficiente em cada pálpebra e isso faz com que o produto renda bastante.


Confesso que tenho daquelas pálpebras cheias de linhas e texturas e isso muitas vezes arruína-me a aplicação das sombras. No entanto este primer ajuda imenso nesse sentido. Espalha lindamente, tem um toque bastante seco e fica quase aveludado na pele. O efeito nas sombras não poderia ser melhor, parece que lhes abre a cor e as torna mais vivas. Não sei se as mantém 24 horas porque nunca testei mantê-las tanto tempo, no entanto a grande maioria dura um dia inteiro, com a cor viva e bonita. 


Os produtos da Urban Decay encontram-se nas lojas da Sephora ou em várias lojas online como Look Fantastic ou Feel Unique. Este formato travel size, de 5ml existe também com a fórmula anti-age e o preço ronda entre os 12-14€. Já o formato normal, é de 10ml, há também o anti-age e estão disponíveis penso que 6 tons diferentes. Já o preço ronda os 20-23€.

Já experimentaram o Eyeshadow Primer Potion da Urban Decay?
Costumam usar primers de sombras?
Falem-me dos vossos favoritos.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Review do Meritene RegenerIs


Olá Dolces

Contrariando um pouco o habitual, o post de hoje é sobre saúde. Recentemente fui selecionada pela STW para participar na campanha do Meritene RegenerIs e hoje venho-vos contar a experiência.

Vou começar por explicar o que é a STW. Trata-se de uma empresa que trabalha com diversas marcas, no sentido de as aproximar do consumidor, recrutando embaixadores para testar e divulgar os produtos.



Ora esta campanha era sobre o novo suplemento alimentar da Nestlé, o Meritene RegenerIs. Trata-se de saquetas de pó diluível em água, com sabor a laranja. É composto por Magnésio, que contribui para a redução do cansaço e da fadiga; Potássio, que ajuda no normal funcionamento muscular e Antioxidantes como a Vitamina C, Vitamina B2, Zinco e Selénio, que protegem as células contra a oxidação indesejável e ajudam o normal sistema imunitário. Contém ainda Coenzima Q10, para a boa manutenção dos músculos e da pele, Resveratrol, que protege contra o envelhecimento precoce das células e Luteína que ajuda o bom funcionamento dos olhos.

A dose diária recomendada é de uma saqueta, destinada apenas a adultos, que apesar de ser um suplemento alimentar, não deve substituir as principais refeições com uma dieta variada e deve ser acompanhada sempre por exercício físico.

Apesar de já tomar multivitamínicos há vários anos, que vou variando conforme as necessidades do corpo no momento, fico sempre um bocado de pé atrás quando aparecem estes produtos que prometem o alívio do cansaço. Porque desculpem lá, mas aqui não existem milagres, se não descansarmos e não tivermos cuidados alimentares, não há medicação que valha. No entanto estes suplementos, quando conjugados com um estilo de vida saudável ajudam bastante.


Apesar de ter passado grande parte do inverno a tomar suplementos de vitamina C, quando comecei a tomar o Meritene, estava apenas a usar um suplemento de cálcio (uma vez que não bebo leite às vezes preciso recuperar os valores fora da alimentação), que mantive, já que este produto não o contém e não há qualquer interação, segundo me informei com o farmacêutico. Como tal, qualquer diferença que sentisse, seria apenas por este motivo.

Como foram enviadas 2 caixas, resolvi experimentar a primeira logo no final do mês de Abril e, como seria de esperar, não notei diferença nenhuma na primeira semana (isto não são comprimidos para as dores de cabeça que atuam em 30 minutos!!!), no final da segunda semana semana comecei a notar que acordava um pouco mais desperta e o que é certo é que fui mesmo notando um aumento da energia durante o dia. Se tinha 1 hora livre, em vez de ficar sentada à frente do computador ia fazer qualquer coisa.

Um ponto que só me apercebi quando terminou a primeira caixa foi em relação às alergias. Desde pequena que sofro de rinite alérgica e a Primavera para mim é... horrivel. Enquanto muita gente passa com um espirro ou dois, eu tenho ataques de espirros por horas seguidas, a ponto de mal conseguir respirar, andar com os olhos a chorar o dia inteiro e acabar por afetar o meu dia-a-dia. A única forma de ir tentando controlar o problema é com anti-histamínicos, que por vezes pouco resolvem. Este ano, cheguei a meados de Maio sem grande problema a nível de rinite, mas não liguei. No entanto, fiz uma pausa no Meritene ao fim da primeira embalagem e depois de uns dias... Olá Alergias!!! Pensei que pudesse ser coincidência mas comecei com a segunda embalagem e tudo normalizou de novo. E isto quase sempre sem qualquer anti-histamínico. Ora se a única diferença era o Meritene, atribuo-lhe o feito de me estabilizar a rinite. E só por isto já valeu bem a pena.
No entanto, gostei bastante dos resultados, apesar de ter noção que só um uso mais prolongado daria uma ideia mais correta. Fiquei curiosa para ver o efeito disto no inverno, se teria alguma influência nas gripes e constipações, mas dada a presença de vitamina C.


O Meritene RegenerIs é vendido em embalagens com 20 saquetas (uma por dia), que são super práticas de levar na mala e muito fáceis de dissolver em água. Encontra-se nas farmácias e parafarmácias. Um ponto que poderiam melhorar é a variedade de sabores, pois existe apenas o de laranja. O preço ronda os 13-15€ dependendo dos sítios.

Já conheciam o Meritene?
Costumam tomar este tipo de suplementos alimentares?
Não se esqueçam de consultar sempre o médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer suplemento.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

SORTEIO: Óculos de Sol da Sun Planet

Olá pessoal!
No último post prometi que iria fazer alguns sorteios com os produtos recebidos na Máxima Beauty Summit! Pois hoje sai o primeiro! E o prémio é... uns Óculos de Sol da Sun Planet!



Para participarem só precisam:
- Seguir o blog

Atenção:
- Podem participar quantas vezes quiserem desde que identifiquem pessoas diferentes
- Não é válido identificar contas inativas, figuras públicas, lojas ou empresas
- Este sorteio é válido apenas para Portugal
- Todos os unfollows são banidos e não poderão participar nos próximos sorteios
- O sorteio termina no dia 24 de Junho e o vencedor será anunciado no dia seguinte.
- O vencedor terá 24horas para responder

Boa sorte a todos os participantes! 

domingo, 10 de junho de 2018

Fui à Máxima Beauty Summit


Olá Dolces,

Para continuar numa de posts com atraso, hoje venho-vos contar como foi a minha ida à Máxima Beauty Summit 2018.
Para quem não conhece (e eu também não conhecia até ter visto alguns posts sobre o assunto), tratou-se de um evento de beleza no Pavilhão Carlos Lopes do Parque Eduardo VII em Lisboa, que aconteceu nos dias 18 e 19 de Maio.

Vou começar por dizer que foi uma sorte imensa ter conseguido ir. É um evento aberto ao público geral, em que a entrada era apenas a apresentação da edição de Junho da Revista Máxima. No entanto... era em Lisboa. Sorte das sortes, calhou no mesmo dia do concerto de Sam Smith para o qual já tinha bilhete desde Novembro, por isso foi a combinação perfeita. A organização estava a oferecer beauty bags no com produtos no valor de 110€ das marcas apresentadas no evento e para isso tínhamos apenas de fazer a inscrição no site, que daria acesso também a entrada gratuíta. Fiz marcação para mim e para a mãe (já que a ida ao concerto era o presente de Dia da Mãe!) e lá fomos nós, com a companhia do Konigvs, que em vez de ir à Beauty Summit foi passear e fotografar o parque (Homens!).


Como tínhamos mais alguns planos para o Sábado em Lisboa, fomos logo à hora da abertura, para sermos recebidas logo à entrada pela simpática equipa. Nunca tinha estado no pavilhão mas devo dizer que tem um átrio lindíssimo. Sacos levantados, entrámos e encontrámos um espaço de uma dimensão aceitável mas não muito grande, com vários stands, quase tudo de marcas bem conhecidas como a Caudalie, Vichy, Bioten, Mary Key, TRESemmé, Body Shop, Simple, entre algumas outras que ou conhecia apenas de nome ou era completamente desconhecidas, como a Erborian, Apivita, Wiñk, Carven, etc.


Percorri todos os stands e adorei o atendimento e a simpatia em todos eles, parece que em todos os locais havia um entusiasmo genuíno em dar a conhecer as marcas e mostrar novos produtos e isto sem nos fazer sentir que estaria ali apenas para nos impingir coisas, até porque, com grande pena minha, vários stands eram apenas de demonstração e não estavam a realizar vendas. Foi o caso, por exemplo da Body Shop que estava a apresentar os novos iogurtes de corpo que me deixaram completamente rendida, mas só estariam disponíveis para venda no dia seguinte (e no Domingo lá estava eu na Body Shop para o comprar!). Outros exemplos foram os dos novos leites de corpo da Bioten e alguns produtos da Erborian.


O que realmente comprei foi uma caixa com os novos produtos da Simple, que incluía máscara, toalhitas desmaquilhantes e sérum. Mas claro que no meio de tanta sorte neste dia, teria de vir algum azar e no regresso a Aveiro o saco da Simple ficou mesmo no comboio e segundo a CP não foi encontrado.


Um último ponto que falta mencionar era o palco no centro do pavilhão onde se realizavam pequenas aulas de diferentes assuntos (enquanto lá estive, decorreu uma aula de fitness), além de demonstrações e palestras com figuras públicas e até algumas bloggers. Infelizmente o dia era curto para tudo o que queria fazer em Lisboa e fiquei apenas pouco mais de uma hora, não assisti a mais.


Acho que a única conclusão que posso fazer aqui é que adorei o evento, muito mais até do que, por exemplo a Expocosmética. Aqui apesar de ser um espaço tão pequeno, por incrível que pareça, havia muito mais variedade, não senti que era mais do mesmo, não foi cansativo e o próprio ambiente era completamente diferente. 

Já agora, fiquem atentos aqui ao blog porque muitos dos produtos oferecidos serão sorteados em breve.


Conheciam o evento?
Alguém por aqui foi?
Ansiosos por um sorteio?



quarta-feira, 6 de junho de 2018

Desafio do Chá - 5ª Semana |FINAL|


Oi pessoal! 

Ok, isto para não quebrar a tradição é claro que tinha de sair com mais uns quantos dias de atraso. Ou se calhar seria o meu inconsciente a dizer-me que não queria que o desafio terminasse. Mas é a realidade, chegámos finalmente aos últimos dias do Desafio do Chá.

Dia 28 - Twinings Lemon Twist


Foi a última infusão da caixa de Fruit & Herb Collection a ser experimentado. Pensei que ira sair daqui mais uma infusão de limão sem interesse e, por isso fui adianto. No entanto não poderia estar mais enganada! Sim, sabe a limão, mas como o nome indica tem ali um twist qualquer. Além de casca de limão tem também casca de laranja, erva-príncipe, roseira e raiz de chicória. A temperatura da água deve ser de 100ºC e o tempo de imersão de 3 a 4 minutos. Não convém ultrapassar ou pode ficar azedo.

Dia 29 - Tetley Toranja e Limão


Tal como o Mind Zinco, vinha no beauty bag da Maxima, mas ao contrário do outro, não gostei deste nem um bocadinho. É composto por chá verde sencha, aromatizante natural de limão e óleo de pamplumossa (toranja). Apesar da embalagem dizer que não tem travo amargo, a única forma que tenho para o descrever é precisamente essa: amargo! Mesmo com bastante mel continua amargo, quase azedo. Provei apenas uma saqueta e o resto mandei para a minha mãe (para compensar pelo outro). A temperatura da água é de 90ºC, e o tempo de imersão é de 90 segundos.

Dia 30 - Clipper Organic Green Tea

O chá verde simples não é dos meus favoritos, não é que não goste, mas acabo sempre por dar preferência a outros sabores e este acaba por ir ficando esquecido. No entanto, adoro usá-lo para a minha receita de Chá verde com sumo de maçã de que já falei aqui. E o facto deste ser biológico torna-o ainda melhor. A água deve ser fervida até aos 90ºC e o tempo de infusão é de 1 a 3 minutos.

Dia 31 - Twinings English Breakfast

Lembro-me que a primeira vez que experimentei este chá foi precisamente em Londres, numa noite em que já estava mais do que ansiosa. Sim, fui tomar chá preto à noite! Sim, quando mal continha os nervos e a ansiedade por uma certa peça de teatro! Resultado: Mal parei quieta na cadeira. Não dormi nada nessa noite mas fiquei feliz por finalmente ver quem eu queria e a adorar o chá novo! Claro que há dezenas ou centenas de marcas e tipos de chá preto, mas nada como o English Breakfast, que é forte, intenso, quente, parece que tem quase um travo a especiarias e é sem dúvida um dos meus favoritos. Deve ser servido com água a 100ºC e depois de 3 a 4 minutos de infusão. Se não quiserem a bomba de cafeína que é, podem deixar apenas uns 30 segundos e retirar, pois ele ganha logo o sabor.


E pronto, desta forma terminei o Desafio do Chá. Inicialmente pensei que seria uma parvoíce minha, mas têm deixado tantos comentários a dizer que gostam e bebem chás e infusões, que espero sinceramente que este desafio vos tenha ajudado a perceber que existem opções além da típica cidreira e camomila que toda a gente conhece. Não usei nenhum chá ou infusão que não se venda em Portugal, alguns são mais complicados e encontra-se apenas em lojas de produtos importados, mas ainda assim podem sempre encomendar mesmo que não tenham nenhuma dessas lojas por perto. Outro detalhe a que tive em atenção foi o preço, nada aqui ultrapassou os 5€ e como podem ver pelas embalagens, a grande maioria traz 20 ou 25 saquetas ou no caso das latas chega mesmo às 50 porções. 

Acho que este é um hábito bastante saudável e pode ajudar principalmente quem bebe menos água, pois é uma forma mais saborosa de hidratação. Claro que nem todos os chás e infusões são indicados para toda a gente, alguns chegam mesmo a interferir com problemas de saúde ou alterar o efeito da medicação e se uma chávena pode não trazer qualquer consequência, o uso prolongado pode mesmo ter efeitos negativos, por isso não se esqueçam de se aconselhar com o médico sobre isso. Atenção também ao efeito da teína, que é no fundo uma especie de cafeína que se encontra no chá e que apesar de quase inexistente nas infusões, tem níveis bastante elevados nos chás, principalmente o preto (uma chávena de 200ml tem cerca de metade da "cafeína" de um café e o verde um pouco menos que isso). Como em tudo, a chave está mesmo na moderação. 

Gostaram do desafio?
Alguém ficou com vontade de o realizar também?
Contem-me o que acharam! 

sábado, 2 de junho de 2018

Desafio do Chá - 4ª Semana


Este é mais um post que sai com atraso, eu sei. E não há desculpa possível, só mesmo a loucura dos últimos tempos cá por casa. No entanto, este é dos últimos posts do Desafio do Chá, correspondente ainda à 4ª Semana


Dia 21 - Cuida Te Forest Fruits
Confesso que não sou grande fã de Infusões com frutos vermelhos, salvo raras exceções (como o Ahmad Tea de que falei na 2ª semana). Esta infusão é composta por flor de hibisco, maçã, pétalas de rosa, aroma de frutos vermelhos, roseira brava e morango seco. Infelizmente, não foge muito à regra, acho-a demasiado ácida talvez devido a algum exagero nas pétalas de rosa e apesar de a tomar sempre com mel, isso pouco ou nada altera a acidez. A temperatura da água deve ser de 90ºC e o tempo de imersão recomendado é de 8 a 10 minutos, que me parece demais, porque não adiciona nada ao sabor e torna a infusão ainda mais ácida.

Dia 22 - Tetley Mind Zinco
Tive conhecimento desta infusão por ser um dos produtos do Beauty Bag da Maxima Beauty Summit e para ser sincera, não dava grande coisa por ela, já que não estava deslumbrada com o Vitamina C da mesma gama, no entanto fiquei surpreendida. Contém hibisco branco, frutos de roseira brava, casca de laranja, raiz de chicória, raiz de alcaçuz, zinco, sumo de ananás e casca de toranja. Rendi-me na primeira vez que tomei! É fresco, é leve, sem qualquer tipo de acidez até sem usar nenhum adoçante, o ananás dá-lhe aquele sabor tropical e bebido frio, com umas pedras de gelo é divino! A água diz apenas que deve ser fervida, não menciona temperatura mas eu deixo-a a 100ºC, com 3 a 5 minutos de infusão. Confissão: além de ficar com a minha, surripiei também a embalagem da minha mãe!

Dia 23 - Twinings Green Tea Peach & Cherry Blossom
Para quem não gosta muito de chá verde simples, esta é uma solução interessante. Trata-se de chá verde com aroma natural de pêssego, cereja e flor de cerejeira. Gosto bastante porque os aromas tornam-no mais suave, sem aquele travo amargo, embora sem ser exatamente doce. É um equilíbrio ideal entre os dois. A água deve ser fervida apenas a 85ºC e o tempo de infusão é de 2 minutos. Como todo o chá verde, não devem mesmo ultrapassar estes valores ou torna-se amargo.

Dia 24 - Lipton Tília, Lavanda e Camomila
Esta é uma daquelas infusões que não planeei comprar, mas passei no supermercado, vi e resolvi experimentar. É composta por lúcia-lima, tília, lavanda, camomila e cidreira. Pequeno detalhe em que deveria ter pensado: não gosto de lavanda. Nunca achei graça ao cheiro, por isso não é de estranhar que não tenha ficado fã desta infusão, já que é mesmo o sabor predominante. Um facto curioso é que a embalagem promete uma noite de sono tranquila e no entanto não notei nada. Mas dei mais de metade da caixa à minha mãe, que adorou o sabor e diz que, contrariamente ao habitual, dormiu que nem uma pedra e no dia seguinte até lhe custou levantar e andou ensonada o dia todo. Tendo em conta que nunca aconteceu, ela atribui à infusão. A água deve ferver até aos 100ºC e deixar infundir durante 5 minutos.

Dia 25 - Twinings Cranberry & Raspberry 
Esta foi outra aquisição bastante recente na última ida à Glood. Já conhecia e adoro o de framboesa e equinácia da marca, por isso nem pensei duas vezes antes de escolher este, que contém hibisco, maçã, roseira, aroma natural de framboesa e arando, flor de sabugueiro e raiz de alcaçuz. Apesar de gostar do sabor, achei que o arando tem um travo bem mais amargo que o de equinácea e precisa mesmo de um adoçante qualquer. Não tem temperatura recomendada e já experimentei várias, mas acho que o melhor sabor consegue-se aos 90ºC, com 3 minutos de infusão.

Dia 26 - Tetley Lúcia-lima Verbena
É uma das minhas infusões favoritas. Seja de que marca for ou até mesmo as folhas secas, a verbena tem de estar sempre cá em casa. Tem um sabor fresco, floral, adocicado, que comparo muitas vezes à flor de laranjeira para o descrever. A temperatura da água indicada é de 100ºC mas sinceramente não interessa, desde que esteja suficientemente quente, a infusão fica boa. O tempo de imersão diz de 3 a 5 minutos mas também pode ser ignorado. Mesmo que se esqueçam, fica forte, mas nunca amarga, ou seja, não há como correr mal (a menos que queimem a língua!)

Dia 27 - Diese Chá Branco Biológico
Este é um daqueles chás que há sempre aqui por casa, mas que por estranho que pareça, experimentei apenas para este desafio. Diz ser um chá chinês, colhido apenas na primavera, consumido apenas pelo imperador, família e amigos. Chego à conclusão que não dou para a guest list do Imperador! Não gostei do chá. É fortemente... desensaibido. A sério, não me sabe a nada. Mas um nada amargo! Não me convenceu! A água deve estar nos 100ºC e o tempo de infusão é de 3 minutos.

Acompanharam o desafio no Instagram?
Que acharam das escolhas da 4ª Semana?
Amanhã sai o último post do Desafio do Chá.